Festival e
Laboratório

Festival e
Laboratório

Resumo da Última Edição -
9 de Novembro a 1 de Dezembro de 2018, Coimbra

Linha de Fuga foi a primeira edição de um evento de duas caras que se pretende bienal e cuja próxima edição se realiza em Junho de 2020. Foi um laboratório de criação artística e um festival internacional pensado para  Coimbra, considerando a dimensão da cidade, a diversidade de agentes e equipamentos e a necessidade de descentralização de iniciativas de arte contemporânea performativas. Congregou paralelamente um espaço de reflexão, experimentação e formação profissional (o laboratório), uma programação eclética e cosmopolita (o festival). O laboratório promoveu uma formação profissional crítica e internacional, juntando 18 artistas criadores e 2 artistas / documentadoras de distintos países  e formações na confluência de um pensamento sobre a relação da arte e sociedade, provocando-os  a pensar o território de uma forma global mas também local;  lançou desafios à Academia (doutorandos em Pós-Colonialismo e Cidadania Global) levando a pensar os processos artísticos dos participantes como forma de produção de conhecimento; abriu a possibilidade de experimentação de práticas artísticas ao proporcionar espaços de trabalhos e de apresentação pública de projetos artísticos em processo.

A
programação do festival foi pensada para ser uma montra das diferentes expressões artísticas contemporâneas atuais, apresentou em estreia absoluta em Portugal as obras dos artistas estrangeiros convidados ao lado de obras de artistas nacionais e dos processos dos artistas participantes do laboratório. Espalhado por vários espaços da cidade (teatros, galerias, rua e espaços não convencionais) a programação foi pensada de acordo com o perfil dos parceiros que a acolheram, permitindo promover, desta forma, sinergias com várias instituições locais; promoveu a democratização das artes com espetáculos  com uma política de preços acessível, paralelamente a programação grátis; publicitou a dinâmica da atividade artística na cidade, inserindo outras programações artísticas locais na sua própria divulgação.

Com uma lotação média de 73% de espetadores nos espetáculos, apresentações de processos e atividades paralelas, uma média diária de 21 visitantes na instalação (que permaneceu até ao dia 28 de Dezembro), o festival teve 1.997 pessoas de público nesta primeira edição.

Muito obrigada Coimbra!

Linha de Fuga pretende documentar todas as atividades que promove como forma de difundir práticas artísticas e produção de conhecimento através das artes. Esta edição foi documentada pelas duas participantes documentadoras cujo resultado pode ser visto em
Documentação e Arquivo.