Workshop Thomas Hauert

> INSCRIÇÕES ATÉ 22 de Novembro AQUI <

Convento São Francisco
27 a 30 nov, 10h às 13h30
> o workshop tem o custo de 80€

© Thibault Grégoire

Implantando uma rede complexa de movimentos conectados no tempo e no espaço, a linguagem coreográfica de Thomas Hauert poderia ser vista como uma extensão da tradição da dança abstrata. No entanto, a sua “escrita” altamente polifónica desenvolve-se em palco inteiramente através da improvisação. O que faz o seu trabalho único e significativo é a vontade de provocar a ordem através da desordem, construindo a partir do informe, um grupo enquanto aproveita a excecional qualidade de perceção, atenção e concentração possibilitadas pela improvisação. Os participantes no workshop são responsáveis pela invenção e implementação de seus próprios movimentos, mas também pela criação e desenvolvimento de estruturas de grupo. Devem adaptar o seu papel individual dentro de uma constelação dinâmica cujos mecanismos estão em constante mudança. As habilidades cognitivas de tal sistema excedem em muito a mera soma das habilidades individuais. Em grande parte, baseia-se na intuição – como enfatiza Hauert: uma faculdade neurofisiológica que se desenvolve através da experiência.

Depois de uma carreira como bailarino de coreógrafos como Anne Teresa De Keersmaeker, David Zambrano e Pierre Droulers, o suíço Thomas Hauert fundou a companhia ZOO em Bruxelas. Desde 1998, criou aí mais de 20 obras. Além do seu trabalho com a companhia, Thomas foi convidado para criar Há Mais (2002) com bailarinos moçambicanos, bem como várias peças para a escola P.A.R.T.S, em Bruxelas. Em 2010, criou um novo trabalho para o Ballet de Zurique, Il Giornale della necropoli, em 2013 Pond Skaters para o Toronto Dance Theatre, em 2014 Notturnino para a companhia britânica Candoco Dance Company e prepara uma nova peça para 24 bailarinos que será estreada em novembro de 2018 para o CCN Ballet de Lorraine em Nancy.
Regularmente convidado para participar em eventos de improvisação, tem um profundo interesse na relação entre dança e música. Thomas ensina regularmente em P.A.R.T.S. e foi professor convidado na Valeska-Gert na Freie Universität Berlin em 2012-13. Foi convidado a colaborar no projeto “Motion Bank” da The Forsythe Company (em desenvolvimento). Desde 2013, Thomas Hauert é o diretor artístico do bacharelato em dança contemporânea, na academia de teatro La Manufacture, em Lausanne.
www.zoo-thomashauert.be

 

A presença de Thomas Hauert no LINHA DE FUGA conta com o apoio de WBI – Wallonie-Bruselles International.